A cor expressa, impressiona e desperta sentidos em espetáculos, efervescências e transcendências. A cor nasce em movimentos, manifestações, construções, narrativas e sensações. Tá na pele, na memória, no olhar, na parede, na fachada, no sorriso, na fotografia.

Que cor tinham as coisas?

O que da cor do dia fica impregnado na sua retina?

Se acumula na sua memória?

Qual a relação das cores com a memória do povo e de seu patrimônio?

Qual a relação da cor com o cinema e com as artes?

    

Como as sete cores do arco-íris, o Fecin chega à sua 7ª edição quase como um fenômeno óptico: a luz da tela ilumina praças e ruas e faz olhos brilharem. É AUDIOVISUAL! Um espetáculo de som, luz e efeito. Estendemos nosso olhar para a cidade, para o cinema e as relações entre eles. Chegar até aqui não foi fácil. O Fecin é o único  festival de cinema do interior do Espírito Santo realizado em sítios históricos preocupado em formar público e democratizar a cultura através da difusão de obras audiovisuais brasileiras e estrangeiras, promovendo diálogos e formações. Cada uma das últimas seis edições trouxeram experiências e vivências incríveis capazes de amadurecer o pensamento de sua realização, abordando temas tão importantes como o patrimônio e a diversidade cultural com as memórias do interior e suas co-relações com o cinema e o cotidiano da cidade.

Se no passado as pontes entre os mundos eram feitas pela dominação e a colonização, pelos navios que cruzavam o mar, dessa vez propomos pontes coloridas e vibrantes, em arco-íris, ligando mundos diferentes, com vivências especiais.

A memória do passado visual arquitetônico da cidade, mescla-se com às cores e multiplicidades da cultura popular: o Boi pintadinho e a Folia de Reis, manifestações culturais e folclóricas tradicionais do município, e se ressignificam com o olhar de quem chega na cidade, participa, integra e se apaixona por essa cultura de cores. O interior será sempre o nosso tema infinito: as intervenções, as invenções, independências, integrações, inquietações…

Inspirado em trabalhos desenvolvidos pela artista multimídia Monica Nitz (ES), a sétima edição do Fecin reflete sobre a memória da cor, tema que ilustra não apenas a identidade visual do evento, como as ações de intercâmbio cultural protagonizadas por artistas e jovens em uma atividade de imersão artística que evidencia Muqui, seu patrimônio, a memória e as características socioculturais do município.

artista multimídia Mônica Nitz

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *