Troféu Catraca, por André Fachetti

Filmes nacionais e capixabas, além de Séries de Web e TV, compõem a programação do festival de cinema de Muqui. Evento acontece entre os dias 14 e 16 de setembro, e também traz curso, seminários e workshop de mercado audiovisual

O FECIN – Festival de TV e Cinema do Interior do Espírito Santo, realizado em Muqui, maior sítio histórico do Espírito Santo, divulga a seleção de filmes que vão compor a programação do evento, entre os dias 14 e 16 de novembro de 2018. Para esta edição, que traz o tema “Memória da Cor”, inspirado nos trabalhos desenvolvidos pela artista multimídia Monica Nitz (ES), foram selecionadas 35 obras audiovisuais, entre longas e curtas-metragens e séries para Web e TV. A programação do evento também inclui um cursos, três seminários e um workshop voltados para a formação audiovisual.

Em caráter competitivo, os filmes serão exibidos nas mostras Nacional e Espírito Santo, além da mostra capixaba de Web séries e séries de TV, e concorrem ao troféu “Catraca”, tradicional premiação do evento. Outros filmes convidados também integram a programação sem competir. A seleção de 2018 foi realizada sob a coordenação dos moradores de Muqui Cláudia Puget e Ériton Berçaco, e com a participação da artista Mônica Nitz e do cineasta Ricardo Sá.

Para este ano, o FECIN traz como novidade a realização de atividades de formação audiovisual, com profissionais de renome no país, e abre inscrições para o público interessado em aprender mais sobre este mercado. Os temas são: Cinema como Negócio, com André Blak; Roteiro de Séries de TV e Novas Narrativas, com Lilian Fontes Moreira; Roteiro e Produção de Conteúdo LGBT, com Viv Schiller; Criando Conteúdo Audiovisual para WEB, com Bruno Heitor; e Fontes de financiamento ao audiovisual , com André Blak. O festival também irá promover a inclusão dos estudantes do Ensino Médio com oficinas de experimentações audiovisuais e, para as crianças que estudam na rede público de ensino de Muqui, haverá sessões especiais com filmes infantis de animação do Instituto Marlin Azul.

“Além das mostras de filmes, optamos por incluir na programação do festival ações com foco na formação audiovisual. Entendemos que este é um mercado em constante crescimento no país e no mundo, e acreditamos que fomentar a produção é também um papel dos festivais de cinema, não só exibindo o produto final, como também estimulando a criação a partir do compartilhamento dessas práticas”, pontua Léo Alves, representante da Caju Produções, uma das realizadoras do evento. As atividades de formação têm valores a partir de R$ 80 e as inscrições são feitas através de formulário online no site do FECIN (www.fecin.com.br).

Bando de Teatro Olodum, de Lázaro Ramos e Thiago Gomes

FECIN 2018: MEMÓRIA DA COR

Inspirado nos trabalhos desenvolvidos pela artista multimídia Monica Nitz (ES), a sétima edição do FECIN reflete sobre a memória da cor. A memória do passado visual arquitetônico da cidade de Muqui mescla-se com as cores e multiplicidades da cultura popular: o Boi pintadinho e a Folia de Reis, manifestações culturais e folclóricas tradicionais do município, e se ressignificam com o olhar de quem chega na cidade, participa, integra e se apaixona por essa cultura de cores.

O FECIN, Festival de Cinema do Interior do Espírito Santo é uma ação cultural de cunho cinematográfico realizada desde 2012 em Muqui. Desde sua criação, as ações do festival têm como conceito norteador o “IN”, de FECIN e de INterior, INdependência, INternacionalização, INvenção, INtegração, INspiração, INtrospecção, e INfinito, palavras que reforçam o IN das criações humanas. Neste contexto temático, dentro do maior sítio histórico do Espírito Santo, o FECIN fortalece o conceito de Memória & Patrimônio.

O FECIN é uma realização do Instituto Marlin Azul, Caju Produções e Ministério da Cultura com apoio da Prefeitura Municipal de Muqui e Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo, com patrocínio do BRDE, FSA e Ancine.

Os incontestáveis, de Alexandre Serafini

FILMES SELECIONADOS

>>MOSTRA CURTA ESPÍRITO SANTO

 

A Flor Azul, de Roger Ghil (Doc, 14’18”, 2018)

Ádito, Renata Ferraz e Rubiane Maia  (Fic, 14’54”, 2017)

Campo, de Caio Fabricius (Videoarte, 3 min, 2018)  

Corpo-Paisagem, de Antonio Carlos Queiroz Filho (Videoarte, 4′, 2018)

Catrina, de Marcelo N. Reis (Fic, 11’41”, 2016)

Luiz, Paixão Pelo Jazz, de Eurico Scaramussa (Doc, 25′, 2018)

Onde você ancora seus silêncios?, de ChArlene Bicalho (Experimental, 3’17”, 2017)

Rio das Lágrimas Secas, de Sáskia Sá (Doc, 25′, 2018)

Terra Vermelha (ou “o perigo da história única”), de Antonio Carlos Queiroz Filho, (Doc, 6′, 2018)

Tríptico, de Lobo Pasolini, (Videoarte, 4’34”, 2017)  

 

>>MOSTRA WEB E TV

 

Categoria TV Espírito Santo

Habitação Social, de André Manfrim [Episódio 09 André Carloni, Serra ES] (Doc, 26′, ES, 2018)

Intermundos, de Mariana Preti (Fic, 18’31”, ES, 2017)

 

Categoria Web Diversidade Espírito Santo

Corpo Flor, de Izah Candido & Wanderson Viana, [Episódio 01] (Doc, 11′, ES, 2018)

Dona Miúda, de Maira Tristão e Mirela Marin, [Episódio 03, Quilombo Linharinho] (Doc, 5’40”, ES, 2017)

 

MOSTRA CURTA NACIONAL

A Festa dos Encantados, de Masanori Ohashy, (Ani, 13′, Brasília, 2016) – Leg Descritiva, Libras, Audiodescrição (AD)

A Mesa no Deserto, de Diego Scarparo, (Fic,15′, ES, 2017)

A retirada para um coração bruto, de Marco Antônio Pereira, (Fic, 14′, MG, 2017)

A Mulher do Treze, de Rejane Arruda, (Fic,16′, ES, 2018)

A Formidável Fabriqueta de Sonhos, de Tiago Ribeiro, (Ani, 7’36”, RS, 2017)

Casca de Baobá, de Mariana Luiza, (Fic,11’34”, RJ, 2017) – Leg Descritiva

CorpoStyleDanceMachine, de Ulisses Arthur, (Doc, 7′, BA, 2017) – Leg Libras

Lipe, Vovô e o Monstro, Felippe Steffens e Carlos Mateus, (Ani, 8’48”, Porto Alegre, 2016)

Minha mãe, minha filha, de Alexandre Estevanato, (Fic, 15′, SP, 2018)

Mocinho e Bandido, Guto Bozzetti, (Fic,14’/ Porto Alegre, 2018) – Leg descritiva, Leg audiodescritiva (AD), Legenda em libras

O Malabarista, de Iuri Moreno, (Ani, 10’55”, Goiânia, 2018) – Leg descritiva, Leg audiodescritiva (AD)

Tá tudo bem, vó, Luiza Quental, (Doc, 14’58”, RJ, 2018)

Um jardim singular, Monica Klemz, (Doc, 15’19”, RJ, 2017)

Vidas Cinzas, de Leonardo Martinelli, (Doc, 15′, RJ, 2017)

Você Conhece Derréis?, de Veruza Guedes, (Doc, 10′, PB, 2017)

 

MOSTRA LONGA METRAGEM CONVIDADO

Os incontestáveis, de Alexandre Serafini, (Fic, 83 min, ES, 2018)

Bando de Teatro Olodum, de Lázaro Ramos e Thiago Gomes, (Doc, 106 min, BA, 2018)

 

MOSTRA “FM – FREQUÊNCIA MULHER”

Teresa, videoclipe com direção de Erika Mariano, ES, 2’35”, 2017.

Ceca, videoclipe com direção de Suellen Vasconcelos e Tati Franklin, ES, 4’35”, 2017.

Pão de Rosas, curta metragem de Daniela Camila, (Fic, ES, 2018)  

Abelha Rainha [pré-estréia], curta metragem de Thayla Fernandes  (Fic, ES, 2018)

 

SERVIÇO

7º FECIN – Memória da Cor

De 14 a 16 de novembro em Muqui (ES)

Programação gratuita

www.fecin.com.br

 

IMPRENSA

Aline Alves – (27) 99983-3390

cajuprod@gmail.com

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *